segunda-feira, 30 de julho de 2007

“Ritual litúrgico laico” incrementa paganismo na Catalunha

O governo autônomo da Catalunha publicou um “ritual litúrgico laico”, contendo fórmulas pagãs para batismo, matrimônio e exéquias, informou o diário madrileno "La Razón". O pretexto da ímpia iniciativa consiste no fato de que os casamentos religiosos são menos numerosos do que os exclusivamente civis. O novo rito inclui leituras do escritor comunista Pablo Neruda, da Constituição Espanhola e músicas rock de Cat Stevens ou dos Beatles, entre outras. Para os enterros, esse absurdo ritual recomenda piadas. O laicismo conduz ao paganismo e à paródia blasfema do catolicismo.

sábado, 28 de julho de 2007

UE quer controlar até a pizza!!!


Há anos a União Européia vem impondo rígidas normas burocráticas à gastronomia do continente. Já foram atingidos o camembert, a cerveja, as massas etc, ocasionando queda de qualidade e queixas generalizadas. Picado pela mesma mosca dirigista, o governo italiano quer agora regulamentar a pizza, segundo parâmetros técnicos. Um misto de ironia e indignação percorreu o mundo, até mesmo o Brasil. Encaixar a pizza num esquema elaborado nos corredores da burocracia estatal revela não se ter compreendido o que ela representa, equivale a lhe matar o espírito e empobrecer os bons e legítimos atrativos da mesa.

sexta-feira, 27 de julho de 2007

Venenos chineses em alimentos, remédios e creme dental


Pelo menos 365 pessoas, sobretudo crianças, morreram em oito envenenamentos coletivos no Panamá, por causa de um produto tóxico de origem chinesa. Exportado a “preço de banana” e com rótulo falsificado na fábrica, ele foi misturado em remédios produzidos no Ocidente. No Panamá, o governo distribui 260.000 vidros de antigripal mortífero. Também houve intoxicações em massa na Argentina, Índia, Nigéria, Haiti e Bangladesh. A fonte do produto venenoso foi a Taixing Glycerine Factory, “fábrica modelo” chinesa, informou “The New York Times”. Nos EUA foi detectado veneno em alimentos, rações para animais e dentifrícios importados da China. A contrafação de produtos da China é escandalosa, mas a notícia de remédios e alimentos venenosos é mais recente, apresentando maior gravidade, pois é de caráter criminoso.
Comprar baratinho chinês não é tão lógico como parece...

Morto “olhando” a TV é achado um ano depois

O cadáver de Vincenzo Ricardo, de 70 anos, foi achado diante da TV um ano após o falecimento. O fato pôs em relevo um dos lados menos falados do mundo moderno: a solidão. A polícia encontrou o corpo “olhando” para a TV ainda ligada, em sua casa no estado de Nova York. Ninguém notou sua falta, até que estourou um cano de água no prédio. A dissolução das famílias faz com que ninguém mais se interesse pelos velhos. Ou vão para um asilo ou ficam isolados num apartamento, quando não são mortos pela eutanásia. A TV funciona como válvula de escape para a frustração. Quando cessa o relacionamento de alma entre os parentes próximos, a TV atua como emplastro. Não há verdadeiro entretenimento... e reina a TV! Já antes da morte física, reina a morte moral.

Videogame excitou fúria de jovem assassino


Alucinado pela violência dos videogames, o estudante canadense Kimveer Gill, de 25 anos, entrou na Universidade de Montreal atirando indiscriminadamente contra os alunos, matando um, ferindo 19, e por fim suicidando-se. No seu blog, o assassino serial dizia-se fã do jogo on-line Super Columbine Massacre, inspirado na chacina de 13 estudantes efetuada por dois jovens numa escola do Colorado (EUA). Reações análogas podem se repetir em jovens moral ou psicologicamente débeis, bem como abalados por problemas familiares, que se dedicam a jogos desse tipo de videogames.

Escolas inglesas deixam de ensinar distinção entre bem e mal


Pelo novo currículo oficial, os mestres ingleses não ensinarão mais a distinção entre o bem e o mal, o verdadeiro e o falso, mas inculcarão pseudo-valores relativistas. Também foram abolidas as referências ao bem comum. As novas linhas foram expostas por Ken Boston, chefe executivo do Qualifications and Curriculum Authority (QCA), noticiou “The Times”, de Londres. Sem a fundamental distinção entre o bem e o mal, entre o verdadeiro e o falso, o belo e o feio, todas as formas de crime, ignorância e horrores podem grassar entre os homens; em conseqüência, a sociedade ficará insustentável.
Perder a idéia da distinção -- e a oposição -- entre o bem e o mal, o verdadeiro e o falso, o feio e o belo, é o método mais seguro de ficar doido barrido.

Fidel: mais rico que as rainhas inglesa e holandesa...

Em 2006 Fidel Castro tornou-se mais rico que as rainhas da Inglaterra e Holanda, segundo a acatada classificação da revista "Forbes". Sua fortuna atingiria 900 milhões de dólares e consiste em empresas nacionalizadas, incluída a rede cubana de distribuição de remédios. Há meses, Castro deflagrou ofensiva contra os cubanos que subtraem recursos do Estado, "ameaçando o futuro do socialismo”. Segundo um investigador estatal, os 11 milhões de habitantes tiram um dólar por dia da máquina estatal, em média, para conseguirem sobreviver. O igualitarismo socialista promete distribuir riqueza, mas de fato multiplica a miséria e tiraniza todos.

Salvador: padre criou modas litúrgicas aloucadas


O padre José Souza Pinto, pároco da Lapinha, vinham escandalizando Salvador. Nas missas, fantasiou-se de baiana, de índio e até de Oxum, um orixá do candomblê. Misturou sacrilegamente de modo sincretista o rito católico com outros supersticiosos; maquiado, executou danças estapafúrdias com autorização da diocese, segundo ele. Para o arcebispo de Salvador, Cardeal Geraldo Majela Agnelo, que afastou o sacerdote, se o padre Pinto, entretanto, voltar a ter um comportamento “normal”, poderá celebrar missas na paróquia.
Gritaria episcopal mesmo só deu quando S.S. Bento XVI anunciou uma permissão parcial para a Missa do Concílio de Trento.

Verdes fosforescentes: hoje porcos amanhã algum "famoso"?


Imagine ter no prato, ou no sanduíche, um presunto verde fosforescente. A conclusão normal é que estaria estragado e faria mal à saúde. Entretanto, cientistas da Universidade Nacional de Taiwan, misturando material genético suíno com o de águas-vivas, criaram três porcos transgênicos de carnes esverdeadas, que brilham no escuro. São verdes até o coração e os órgãos internos, segundo Wu Shinn-Chih, do Departamento de Ciência e Tecnologia Animal. As possibilidades da ciência são incalculáveis, mas, exploradas sem sabedoria, introduzem o caos e o absurdo na ordem natural.

Fanatismo islâmico fascina libertários ocidentais

A jovem belga Muriel Degauque, convertida ao Islã, jogou-se com bombas contra soldados americanos no Iraque. A infeliz suicida levou uma vida "liberada" de todos os "preconceitos" do catolicismo: consumiu drogas, trocou à vontade de "maridos", até que por fim, já no desespero, adotou o Islã e se fez fundamentalista. Tais "conversões" não são raras, e ajudam a compreender o fascínio do fanatismo islâmico sobre aqueles que, renegando o Lumen Christi que se espalha desde Igreja católica, adotaram os costumes imorais e igualitários que corroem a Civilização Cristã. Da mini-saia e top-less à burka islâmica há um só passo no precipício da irreflexão.

Especialista atribui quadro de macaco a pintor moderno


A doutora Katja Schneider, diretora do Museu Estadual de Arte de Moritzburg (Alemanha), olhou para o quadro e logo apontou o uso das manchas de cores. Garantiu então tratar-se de obra de Ernst Wilhelm Nay, pintor que ganhou o prêmio Guggenheim. Porém, a “obra” era de autoria da chimpanzé Banghi, do zoológico de Halle, na Alemanha, informou o diário “The Australian”. Segundo os guardas desse zôo, o aludido símio gosta de pintar, mas seus "quadros" são depois destruídos pelo chimpanzé Satscho.

Kit para o "suicídio assistido" à venda na Bélgica

Os farmacêuticos belgas já podem vender um monstruoso cocktail para a eutanásia, informou LifeSiteNews. Desde a aprovação do assassinato premeditado de doentes em 2002, já foram extintas 200 vidas. Agora, em virtude de nova regulamentação, o farisaico "suicídio assistido" tornou-se sinistramente acessível para todos. O kit da morte custa mais ou menos 180 reais e pode ser usado em casa. Esse coktail para a eutanásia é uma saida de louco para um estado de coisas endoidecido.

Rádio na Internet para cães e gatos. Ou para os donos?


Em Los Angeles (EUA) funciona uma rádio exclusiva para animais domésticos, transmitindo em inglês e espanhol, via Internet: a DogCatRadio. Os locutores "falam" para os bichos e tocam músicas, que supõem sejam do gosto animal. Na verdade, a emissora mais parece voltada para os donos, aos quais de fato se dirigem as mensagens e as propagandas.

O isolamento psicológico e moral num mundo em que a família é menosprezada e os crianças são tidas como empecilhos, chegou ao ponto de haver quem procure ouvir uma rádio dirigida a gatos e cachorros! Não é um mundo cada vez mais cheio de doidos?

Cadáver de suicida confundido com boneco de Halloween


Halloween (o dia das bruxas, anualmente comemorado) é mera brincadeira? Na penultima edição, em Delaware, EUA, o cadáver de uma infeliz mulher suicida ficou pendurado em uma árvore a uma altura facilmente visível. As pessoas passavam sem tomar qualquer iniciativa, acreditando ser mais uma montagem de Halloween, explicou a esposa do prefeito William Glanden para o diário “The Wilmington News Journal”. Se um dia o rei da loucura infernal se manifestar sensivelmente, as pessoas não estarão já preparadas para aceitá-lo?

Moda da tatuagem: irracionalidade neopagã prenhe de satanismo


O costume das tribos pagãs mais primitivas da África, ou da Polinésia, de tatuarem o próprio corpo, sempre causou horror aos civilizados. Deforma o corpo de modo contrário à própria natureza humana, tornando-o feio e por vezes repugnante. Sinal dos tempos: em São Paulo a 7ª Convenção Internacional de Tatuagem reuniu 17 mil pessoas. Participaram 500 tatuadores, 50 deles estrangeiros.

Homens e mulheres abriam vulgarmente suas vestes para exibir desenhos, muitas vezes com alusões sensuais, ocultistas ou satânicas. Um dos sucessos foi o método de tatuagem japonês tebori, que no Japão, servia para marcar o corpo de criminosos, como punição. Hoje é usado até como identificação pelos mafiosos da Yakuza, a maior organização delituosa daquele país.

Sob pretexto de liberdade e originalidade, o homem revolucionário entediado e sem graça, ou moderno, embrenha-se no ambiente próprio ao crime e à neo-barbárie pagã.

Intolerância ecumênica não perdoa santuário católico

Clique e amplie a foto
No solo da famosa Basílica de Fourvière em Lyon, França, um mosaico representa uma dezena de hereges sob a figura de animais repugnantes. Entre eles, estava representado Lutero. O artístico mosaico suscitou a antipatia da assembléia ecumênica reunida pela comunidade Santo Egídio de Roma. Como a lei — anticlerical, aliás — impede a remoção das obras de arte, os participantes da assembléia deixaram uma placa de protesto no local, segundo o jornal “La Croix” de Paris. Mais um gesto de intolerância da "Inquisição ecumênica". Irracionalidade pensada contra tudo aquilo que lembra a distinção entre a verdade e o erro, o bem e o mal.

Bélgica: norma manda escrever Cristo com C minúsculo


Nova norma gramatical, válida para a Bélgica e Países Baixos, obrigou a escrever o nome de Cristo com "c" minúsculo, a partir de agosto de 2006. A agência Kath.net informou que a regra faz parte do novo manual ortográfico O livrinho verde (Het Groene Boekje). Mais uma irracional manifestação do ódio sistematico a Nosso Senhor Jesus Cristo.

Prefeitura de Roma descobre que aquários são crueis para os peixes de cores


A prefeitura de Roma proibiu os aquários esféricos por serem "cruéis", e peixes de cores não poderão ser vendidos em feiras. Os donos de cachorros deverão levá-los a passeios todos os dias. Quem abandonar um cão ou um gato será preso. A responsável pelos “direitos dos animais” da prefeitura romana, Mônica Cirinnà, confirmou a notícia ao diário “Il Messagero”. A prefeitura de Turim já pune com 500 euros de multa quem não passear com seu cão ao menos três vezes por dia. Cada vez mais "direitos" para os animais e menos respeito aos do homem, criado à imagem de Deus. É o caminho da utopia ecologista radical.

Habeas corpus para macaco; aborto e eutanásia para homens


A Promotoria do Meio Ambiente da Bahia pediu habeas corpus para a chimpanzé Suíça, "presa" no Zoológico de Salvador. Assinaram o pedido o promotor Eron Santana, cinco professores de Direito e militantes ambientalistas. Santana observou que a chimpanzé tem 99,6% de genes do homem, e por isso "é uma pessoa que não pode permanecer presa". O juiz da 9ª Vara Criminal de Salvador, Edmundo Lúcio, admitiu considerar o pedido — fato que foi comemorado como uma vitória ecologista. Porém, Suíça morreu logo depois. O promotor exigiu autópsia. No Brasil, em nome da liberdade, qualquer absurdo é invocado em favor dos animais. Entretanto, entre os homens, feitos à imagem e semelhança de Deus, a prática do aborto expande-se assustadoramente. Também a eutanásia já começa a ser adotada nas legislações de alguns países.

Poucos sabem: por tras de piercing e implantes metálicos há uma iniciação no satanismo


Logo atrás da moda dos piercings vem a dos implantes metálicos, que desfiguram atrozmente homens e mulheres. Chifres, saliências, vértebras horripilantes, figuras antinaturais sob a pele, língua cortada pela metade à semelhança das cobras, são alguns dos efeitos monstruosos.

Mas poucos —até mesmo entre adeptos dessas modas— conhecem o fundo oculto delas, estabelecido numa “igreja” com seus “reverendos”: a Igreja da Modificação do Corpo, sadomasoquista e satanista, que ao mesmo tempo pretende ser ecumênica!

Modas profanam símbolos e paramentos litúrgicos católicos


Retratos de santos ou símbolos veneráveis aparecem nas mais prosaicas peças de vestuário, em coleiras de cachorros ou embalagens de cosméticos. Conhecidas griffes de Milão comercializam vestidos e xales que evocam vestimentas litúrgicas, noticiou o “New York Times”.

Nudismo é meta de casas que vendem roupa na moda


Pierre Cardin, o famoso modista francês, reconheceu a respeito da moda: “Nós não vestimos mais os homens e as mulheres, apenas tiramos as roupas deles”. Referindo-se aos modistas, Cardin acrescentou: “Nós desfiguramos completamente essa profissão”. O atestado da orientação das modas atuais para a vulgaridade e imoralidade radicais foi explícito por parte de um dos seus mais famosos propulsores.

Campos de extermínio soviéticos: atração turística!


Uma agência de turismo de Krasnoyarsk (Rússia) lançou uma excursão aos sinistros campos de concentração da Sibéria. O lúgubre passeio custará pouco mais de 2.000 reais e durará 12 dias. Sobre esses locais, o empresário Vladimir Demidov explicou: “Praticamente nada foi feito para adaptar os lugares, mas a região é tão fria, que estão perfeitamente preservados”.
Casas que foram teatro de crimes horríveis são tidas como mal assombradas. O que dizer de lugares onde foram mortas milhões de pessoas com requintes de crueldade? Tais locais mereceriam, isso sim, a visita de autoridades e especialistas para medir e julgar toda a dimensão dos delitos ali cometidos. Mas... para distração e esparcimento turístico não envolve perda da razão?

Moças no agito podem levar cabeleiras de prisioneiras russas

A moda exige concessões pessoais, por vezes pavorosas. O diário "The Times", de Londres, denunciou que os cabelos usados para o "megahair" (extensões de cabelo) vêm das prisões da Rússia. Lá, as condenadas têm a cabeça raspada ilegalmente. Também os cabelos são tirados de crianças e deficientes mentais.

"Se você entra num centro de detenção com longos e belos cabelos, há pouca chance de sair com eles intactos", confirmou Lyudmila Alper, vice-diretora do Centro para a Reforma das Prisões, de Moscou.

Victoria Beckham, figura do jet-set ocidental, declarou cinicamente ao jornal inglês "The Sunday Times": "Minhas extensões vêm de prisioneiras russas, por isso levo o Pavilhão H [de uma prisão] russo na cabeça".

Em SP: macabro e socialismo de mãos dadas


O médico alemão Gunther von Hagens promove, agora em São Paulo, mórbida mostra artística itinerante denominada Body Worlds. Nela exibe defuntos sem pele, tratados com uma técnica de sua invenção. Eles são dispostos em posturas lúdicas, para dissimular o conteúdo macabro da exposição.
Hagens criou uma linha de montagem de cadáveres em Dalian (China), próxima a três prisões agrícolas. O regime marxista lhe vende os presos executados, por 800 reais cada. A dantesca linha de montagem supera as mais férteis imaginações de horror. Uma das fotos mostra sorridentes operárias chinesas tratando peles humanas inteiras, penduradas como num açougue!

Os principais fornecedores na China, como também no Quirguistão (ex-URSS), são delegacias de polícia, asilos de velhos, presídios, hospitais e universidades. Entre 1996 e 2002, a "filial" do Quirguistão exportou 30 toneladas de carne humana: 488 corpos inteiros, 10 fetos, 431 cérebros e 397 órgãos variados! Outra "filial" dessas aberrações funciona na Rússia de Putin.

Hagens quer montar em Londres um inqualificável presépio em tamanho natural, colocando na manjedoura um feto dissecado!
"Arte" moderna, socialismo, blasfêmia, ateísmo e satanismo conjugam-se para produzir um mundo diabolicamente irracional, mas logicamente oposto à Civilização Cristã.

Justiça libera caníbal alemão


Armin Meiwes, de 42 anos, confessou ante o tribunal de Kassel, Alemanha, ter praticado canibalismo, com requintes de perversidade. Ele recrutava vítimas pela Internet, oferecia um guia prático para “cortar a carcaça humana para consumo humano” e sugeria receitas de molhos, incluindo uísque, molho inglês e alho picado.
Meiwes pôs o macabro anúncio numa sala de bate-papo na Internet sobre canibalismo e atraiu o engenheiro Bernd-Jurgen Brandes, de Berlim. Este assinou um contrato dando pleno consentimento ao ritual macabro, o qual foi filmado. As cenas mostram Meiwes cortando os órgãos sexuais do engenheiro, usando anestesia local, e depois comendo-os junto com a própria vítima. Por fim o canibal esfaqueou-lhe o pescoço e retalhou o cadáver, guardando os pedaços dele na geladeira e devorando-os depois.
A Justiça alemã acaba de o declarar livre, após breve passagem pela prisão.
Os estudantes revolucionários da Sorbonne cunharam, em 1968, o dito “é proibido proibir”. E a justiça alternativa age nesse sentido. No fim dessa senda, já se pode ouvir a gargalhada do inferno.

quinta-feira, 26 de julho de 2007

Piercing: moda de escravos e degradados virou bacana


Orelha, sobrancelha, queixo, nariz, bochechas, língua — tudo serve.

A moda de incrustar objetos no corpo é a moda da dor e da infelicidade.

Mais assustador é o fundo moral e psicológico que ela revela.

Um historiador da arte, Denis Bruna, pesquisou antecedentes no mundo cristão.

No pagão, não precisava, pois índios americanos e selvagens africanos ainda costumam deformar o corpo com artifícios até mais sádicos e supersticiosos.

Em pinturas do fim da Idade Média, Bruna descobriu indivíduos com a face traspassada com anéis, cadeias, penduricalhos ou broches.

Numa Via Crucis de Hieronymus Bosch, os carrascos de Nosso Senhor aparecem com piercing, com o rosto furado por anéis. Uma parteira histérica, um velho lúbrico e infiéis também portam esses piercings como estigmas de infâmia.

Dois mil anos depois da Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo, a humanidade que recusou a Igreja e a Civilização Cristã disputa, para cravar em suas carnes, os sinais que outrora os pintores punham nos torpes semblantes dos carrascos que atrozmente crucificaram o Cordeiro sem mancha, nosso Divino Redentor.

domingo, 15 de julho de 2007

Diocese cede igreja a muçulmanos sem reciprocidade

A antiga igreja de São Mateus, em Indian Orchard, Massachusetts, foi vendida à Sociedade Islâmica Turco-Americana, que vai convertí-la em mesquita. “Estamos muito contentes de dar-lhes as bem-vindas” disse aos maometanos o Pe William Pomerleau, pároco de São Judas, onde fica o templo, noticiou a agência de imprensa Catholic News Service, da Conferência Episcopal dos EUA. Porém, os católicos não podem abrir igrejas em países islâmicos como a Arabia Saudita. Sem a elementar reciprocidade o ecumenismo fira em falso e se volta contra o catolicismo.