segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Atentados contra a monarquia abalam unidade e estabilidade da Espanha


A monarquia espanhola, garantia do equilíbrio político e da ordem no país, vem sendo ferozmente atacada por uma onda de manifestações republicanas e separatistas. Começou em Barcelona, onde 300 estudantes queimaram fotos e enforcaram um boneco do rei Juan Carlos com coroa e a bandeira espanhola (foto). Os atentados morais contra o Rei repetiram-se em outras cidades. Em Madri, degeneraram em entrechoques com monarquistas. Os desaforos seriam irrelevantes se não envolvessem a colaboração do governo socialista. O premiê socialista Zapatero não esconde sua aversão a monarquia. Houve numerosas manifestações de apoio à monarquia e a disputa pode rachar o país encerrando o período histórico que viveu até agora.

Halloween insensibilizou vizinhos para cadáver pendurado


Numa janela da movimentada rua Hudson Street, em West Village, bairro de New York freqüentado por homossexuais, pendia o corpo de um infeliz suicida. O enforcado colgava de um colar de cachorros e levava botas de couro. Sua cabeça estava envolta numa máscara de couro. Porém, vizinhos e passantes que viram o corpo enganaram-se achando mais uma montagem do Halloween, embora um pouco prematura. Depois sentiram-se envergonhados pela própria insensibilidade moral ante o drama. Mas, não é para insensibilidades dessas que as encenações monstruosas do Halloween predispõem os homens?

União Européia é nova União Soviética, afirma dissidente


A União Européia (UE) está se transformando numa União Européia de Repúblicas Socialistas Soviéticas (EUSSR), escreveu o ex-dissidente soviético Vladimir Bukovsky. Para ele, a UE está a caminho de ser um novo “império do mal” análogo à falida URSS. A similitude entre as duas sobressai nas tentativas de se aprovar sorrateiramente um tratado constitucional que faria da UE um Estado supranacional, desrespeitando a vontade expressa dos europeus. Acresce que a UE promove agressivamente uma Revolução Cultural anticatólica e antifamiliar rumo a uma imoralidade oficial, talvez pior que a vigente em pleno stalinismo.

segunda-feira, 15 de outubro de 2007

Bispo de Tucson quer homossexuais nas paróquias

O bispo de Tucson, Arizona, D. Gerald F. Kicanas, pediu a sacerdotes e líderes leigos da diocese que vão a procura de homossexuais e lésbicas para convidá-los à igreja, embora eles não queiram fazer parte dela. O bispo escreveu no jornal diocesano que tenta incluir os homossexuais nas paróquias ou na comunidade dos fiéis. D. Kicanas, é o secretário da Conferência episcopal dos EUA.

O grupo contestatário “católico” Call to Action declarou estar “agradávelmente surpreso” pelos gestos do bispo. Mas os fiéis estão altamente perplexos, pois as relações homossexuais são “intrinsecamente más” segundo a Igreja. “O modo como ele [o bispo] está agindo não está de acordo com nossa fé” disse Joel Fago, um dos fiéis feridos. “Nós odiamos o pecado”, acrescentou.

Alguns afixaram ironicamente nas paróquias cartaz dizendo: “Bem-vindas pessoas intrinsecamente desordenadas!” Informou “The Arizona Daily Star”.