segunda-feira, 14 de abril de 2008

Decadência do clero deslustra Academia Francesa de Letras


A Academia Francesa de Letras [foto] orgulha-se de ter sempre entre seus membros cardeais ou eclesiásticos de alto nível.

Até 1935 houve 120 eclesiásticos “imortais”, porém hoje tem dificuldades para eleger algum religioso, segundo o diário “La Croix”.

A razão é que o clero “perdeu essa superioridade de cultura geral e essa aptidão para funções as mais variadas, em virtude das quais podia fornecer tantos candidatos para a Academia”, como escreveu em 1935 Mons. Alfred Baudrillart, historiador e “imortal” ele próprio.

O início dessa decadência cultural foi uma das conseqüências funestas da Revolução Francesa, e a atual crise progressista a leva agora a um paroxismo.

terça-feira, 8 de abril de 2008

EUA: urnas eletrônicas não são confiáveis

Em Cleveland, nas eleições primárias dos EUA, as urnas eletrônicas deviam imprimir um comprovante para os eleitores. Mas 20% deles desapareceram, e ninguém podia garantir em quem esses eleitores tinham votado.

Nas primárias de New Hampshire, as urnas eletrônicas falharam centenas de vezes: os votos saltavam de um a outro candidato, ou desapareciam, ou as contagens se interrompiam enigmaticamente.

Em Waldenburg, Arkansas, as máquinas zeraram os votos de um candidato que jura ter votado em si próprio.

Em Sarasota, Flórida, essas urnas ignoraram 18.000 votantes numa eleição ganha por 400 votos. Diante de tamanha insegurança, o “The New York Times” perguntou a seus leitores se ainda confiam nas urnas eletrônicas [foto].

Bandidos fazem uso de dados fornecidos pelas próprias vítimas

A tendência de publicar tudo sobre si próprio na Internet, em sites do tipo Orkut, serve para bandidos planejarem golpes contra suas futuras vítimas.

Agindo assim os internautas de “forma tão irresponsável e leviana” –– conforme escreveu o professor de Informática da USP, Marco André Vizzortti ––, não é de estranhar que bandos delituosos atuem com detalhado conhecimento das situações: fotos e costumes dos filhos menores, do carro ou da moto na garagem, locais freqüentados, hábitos nas férias, preferências de compras, obras musicais, artísticas ou outras.

Muitos dramas teriam sido evitados, se não se fornecessem tais informações em sites, páginas ou blogs da Internet.