quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Neo-religião verde excogita ritos fúnebres “ecologicamente corretos”

Modelo para a "biocremação"
Modelo para a "biocremação"
Luis Dufaur

A Bélgica e a Holanda querem aprovar um processo para dissolver os corpos humanos num rito fúnebre “ecologicamente correto” que substituiria o enterro, noticiou o jornal de Londres “The Telegraph”.

O rito da “biocremação”, conhecido tecnicamente como hidrólise alcalina, é apresentado como mais ‘reintegrador’ ao meio ambiente e já está em uso em algumas partes dos EUA e do Canadá.

Trata-se de dissolver o corpo do falecido utilizando uma solução quente à base de água alcalina submetida a altas pressões e temperaturas. O processo não deixaria escassas cinzas do finado e o líquido resultante seria ‘devolvido’ à natureza, ou vertido no esgoto.

A prática é ilegal nos dois países, mas já há iniciativas nos respectivos legislativos. Ativistas verdes também pressionam para obter uma aprovação da Comissão Europeia, chefatura suprema da UE.

A primeira biodegradação aconteceu em 2011, na Florida, e desde então teria sido escolhida por cerca de três mil pessoas nos EUA.

Bruno Quirijnen, do Serviço Fúnebre Flamengo, elogiou o sistema pelo fato de decompor inteiramente o corpo. “Se é verdade que o impacto ecológico é menor, então parece ser a opção lógica”, disse ao jornal Het Belang de Limburg.

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Parar a crueldade muçulmana? Só por meio de uma Cruzada.

Atentado do Boko Haram na Nigéria: é ordem do profeta Maomé.
Atentado do Boko Haram na Nigéria: é ordem do profeta Maomé.
Luis Dufaur

“Dezenas de milhares de cristãos abandonaram suas igrejas em ruínas para fugir de Boko Haram”, o movimento que segue o Alcorão ao pé da letra, disse à agência Fides o Pe. Patrick Tor Alumuku, encarregado de comunicações da arquidiocese de Abuja, capital da Nigéria.

“Falei com padres de Maiduguri (capital do estado de Borno, no nordeste do país, onde a seita islâmica é mais ativa) e eles me falaram de acontecimentos aterradores”, disse o sacerdote.

“O Boko Haram está decidido a eliminar todo sinal da presença cristã e muitas igrejas foram destruídas ou incendiadas. Na última semana, numa aldeia da área de Maiduguri, o Boko Haram confiscou o prédio da paróquia para nele instalar seu quartel local”.

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

EUA: macaco que faz selfie não tem direito a copyright

Copyright Office: animal não é sujeito de direitos
Copyright Office: animal não é sujeito de direitos
Luis Dufaur

O Copyright Office, órgão do governo norte-americano responsável pelo registro de direitos autorais, determinou que o direito não assiste a um macaco que tirou uma foto de si mesmo.

A norma especifica que “o órgão não registra trabalhos produzidos pela natureza, animais ou plantas”, segundo informou a UOL.

Entre os exemplos apresentados figura “uma foto tirada por um macaco” e “um mural pintado por um elefante”.

O Copyright Office dos EUA equivale ao Inpi ( Instituto Nacional da Propriedade Industrial) do Brasil.

A decisão favorece o fotógrafo britânico David Slater, que em 2011, durante uma viagem à Indonésia, acompanhou um grupo de 20 macacos pela floresta da ilha de Sulawesi.

“Eles passaram a mostrar um lado brincalhão, pulando em cima do equipamento”, contou Slater.

Ele deixou os bichos brincarem com o equipamento e eles registraram centenas de fotos a esmo, entre elas, um selfie que faz parte de uma seleção do jornal britânico “Daily Mail”.

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Jornal de papel derrota Internet

"Quem matou l'Unità"? Parece novela de Agatha Christie, mas não é.
O verdadeiro "assassino" foi o desinteresse dos leitores pela imprensa de esquerda.
Luis Dufaur


Fala-se muito que a Internet está eliminando a imprensa escrita. A comunicação virtual tem suas vantagens, sem dúvida. Mas será essa afirmação tão absolutamente verdadeira?

Seja-me permitido discordar, ainda que parcialmente. Acredito que de tanto carregar o viés esquerdizante, há décadas a mídia escrita vem praticando o seu haraquiri.

A sistemática distorção dos fatos num sentido esquerdizante afastou-a de seus leitores naturais. A mídia foi ficando como um disco voador que sobrepaira as massas humanas sem que estas consigam mesmo discernir suas formas ou intenções.

Porém, para nossa desgraça, não havia alternativa: o macro-capitalismo publicitário era a única fonte de informação escrita, ou audiovisual por rádio ou TV.

Mas, com o aparecimento da Internet, foi uma verdadeira corrida dos leitores.

- Para onde?

- Para mais do mesmo?

Não, para os sites conservadores ou para os que fugiam do figurino esquerdizante do macro-capitalismo publicitário.